Transamazônica completa 45 anos com avanços ecológicos


Esta sexta-feira (9) marca os 45 anos do início da construção da Transamazônica. A rodovia começou a ser implantada ainda em 1970, no governo do general Emílio Garrastazu Médici. Dois anos depois, ela foi inaugurada. A estrada corta sete estados brasileiros. Começa em Cabedelo, na Paraíba, e termina em Benjamim Constant, no Amazonas. O projeto do governo militar era integrar o Brasil por meio de rodovias. Mas ainda hoje o objetivo não foi alcançado. O aniversário da Transamazônica foi tema de debate no programa Revista Brasil, da Rádio Nacional de Brasília. O diretor adjunto de Pesquisa do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), Oswaldo Martins, lembrou que ainda era universitário, em 1992, quando percorreu junto com dois amigos 2,5 mil quilômetros da Transamazônica. Vinte e um anos depois, ele reviveu a experiência e percebeu que não mudou muita coisa. “O trecho Marabá e Altamira é o trecho que está em melhor estado da rodovia agora. Justamente por ser uma via de acesso ao canteiro de obras da usina de Belo Monte em Altamira. E mesmo neste trecho, que já está predominantemente asfaltado, a gente ainda tem aquelas pontes antigas de madeira. Uma delas quebrada. Novamente as pessoas paradas tendo que atravessar pelo Igarapé”.

Confira no áudio:

Já o diretor de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Garcia, disse que durante este período de mais de quatro décadas, muita coisa já foi feita, mas explica que o país viveu uma mudança de filosofia. Se antes a ideia era ocupar a Amazônia, agora o ponto central é a construção de uma rodovia ecologicamente sustentável. “Muita legislação foi criada da parte ambiental; áreas de preservação permanentes, terras indígenas foram demarcadas, foram preservadas. Antigamente, o que era símbolo de desenvolvimento que era um trator V8 derrubando uma árvore, uma castanheira, hoje é um crime. Hoje para abrirmos uma estrada temos que ouvir os órgãos Ibama, Funai, ICMBio, enfim”. De acordo com informações do DNIT, pouco mais de 600 quilômetros da Transamazônica estão sendo pavimentados no Pará. O departamento afirma que o trecho em obras vai possibilitar a interligação de Itaituba com a BR 163, a famosa Cuiabá - Santarém, por onde trafegam, segundo o órgão, mais de 1500 bitrens por dia no transporte da soja produzida no Mato Grosso que avança para o sul do Pará. A integração vai até Marabá, no Leste do estado, considerada uma região mais desenvolvida. No Amazonas, estão sendo realizados estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para pavimentação até o município de Benjamin Constant.

TAGS: ESTRADA, RODOVIAS, TRANSAMAZÔNICA

fonte: http://www.ebc.com.br/noticias/meio-ambiente/2015/10/transamazonica-completa-45-anos-com-avancos-ecologicos


16 visualizações

Links Rápidos

Área Exclusiva

Notícias

Política de Privacidade

Contato

Contato Rápido

Endereços & Social

             (11) 99749-0977